Formulário de Cadastro

Nome Completo*
Email*
CPF*
Diga onde nos conheceu
Data de nascimento
Sexo
Masculino Feminino
Igreja
País*
Cidade*
Estado*
Data batismo nas águas
Cargo na Igreja ou membro
Nome do pastor
Conhece a www.redebetel.com?
Sim Não
DDD*
Telefone*
Senha*
Redigite a senha*
Gostaria de receber ofertas diárias por e-mail
       * Campos obrigatórios
E-mail

Mentoreamento pastoral, o que é isso?

52 visualizações - Ver mais anúncios em Igreja evangélica
  • Mentoreamento pastoral, o que é isso?
  • Mentoreamento pastoral, o que é isso?
  • Mentoreamento pastoral, o que é isso?
  • Mentoreamento pastoral, o que é isso?
  • Mentoreamento pastoral, o que é isso?
  • Mentoreamento pastoral, o que é isso?
  • Mentoreamento pastoral, o que é isso?
  • Mentoreamento pastoral, o que é isso?
Detalhes do anúncio

TITULO: O QUE É MENTOREAMENTO pastoral?

 

INTRODUÇÃO

 

Por Pastor João Carlos Muniz

 

Faça suas publicações aqui neste site também. E depois compartilhe na internet e nos aplicativos do seu celular. Amém?

 

Data - 23 Julho 2019

 

www.pregadoresdoevangelho.com

 

Hoje dia 23 de Julho de 2019 eu vi um comentário sobre este assunto no facebook, e resolvi pesquisar, estudar, conhecer, para poder publicar aqui esta notícia para vocês. Amém?

 

Aqui neste site www.pregadoresdoevangelho.com podemos publicar tudo sobre a Igreja Evangélica, sobre Deus, e compartilhar na Internet, no celular, etc.

 

É bom que você publique aqui neste site suas publicações para elas ficarem HOSPEDADAS aqui e daqui em diante você poderá compartilha-las sempre que for preciso. Gostou?

 

PERGUNTAS:

 

O que é esta palavra: Mentoreamento?

O que é Mentoreamento Pastoral e para que serve isso?

O que é Mentoreamento de Líderes?

Mas eles esqueceram de criar o mentoreamento para os Membros? É isso mesmo ... Quem precisa mais? É os membros ou os líderes?

Porque ao invés de criarem esta palavra MENTOREAMENTO não criaram outra palavra como exemplo: Aconselhamento Pastoral para Pastores e Líderes, ou manter a palavra Discipulado?

 

ALERTA:

 

Precisamos ensinar e alertar o povo de Deus que os avanços, o mundanismo e outras coisas novas chegam em nossas Igrejas rapidamente e tudo isso junto estão lutando contra a palavra de Deus, contra o Reino de Deus, contra o povo de Deus. É preciso estarmos sempre preparados, é preciso estarmos a frente do nosso inimigo e não agirmos depois que o inimigo atacar.

Quando o inimigo vier atacar, ele já precisa desistir logo no inicio porque ele estará vendo a unção na vida do povo de Deus, aleluia. 

 

Somente o Espírito Santo nos orienta e capacita a viver uma vida Santa, que agrada a Deus.

 

É preciso diariamente buscar e ter mais ESPIRITUALIDADE, mais intimidade, mais presença e mais unção do Espirito Santo e do fogo de Deus (Mateus 3.11) e menos da carne para que a Igreja seja mais forte, porque está escrito:

 

O ESPÍRITO VIVIFICA:

 

A letra mata mas o Espírito vivifica - 2 Coríntios 3.6 

 

Não há sentido em viver uma caminhada de discipulado diferente dos princípios que foram apresentados por Pedro. Espontaneamente, como Deus quer.

De boa vontade e como modelos do rebanho (cf. 1 Timóteo 4.12).

Ainda nas Escrituras, encontramos o Apóstolo Paulo encorajando Tito a orientar as mulheres mais velhas a caminharem com as mais jovens (cf.Tito 2:1-5).

Isso é mentoreamento, isso é DISCIPULADO. Isso é aconselhamento. Isso é orientar.

Simples assim: Aconselhamento, discipulado, orientar, ajuda espiritual, estarmos sempre preparados, fortes, com unção, cheios do Espirito Santo e do fogo de Deus.

 

Pastor João Carlos Muniz

www. pregadores do evangelho .com

 

ESTUDO BÍBLICO 1 - MENTOREAMENTO 1

Divulgado por:

Pastor João Carlos Muniz

www. pregadores do evangelho .com

 

AUTOR:

MATHETÉS - ΜΑΘΗΤΗΣ

Comentários e reflexões sobre teologia reformada, sociedade, vida e ética cristãs.

maio 22, 2015

O QUE É MENTOREAMENTO?


Pra começo de conversa, o termo mentor não aparece na Bíblia. É uma palavra que se introduziu no português por meio da literatura grega de Homero, na qual “Mentor” é o amigo confiável a quem Odisseu encomenda a responsabilidade de cuidar de seu filho Telêmaco. Odisseu partiu para a guerra, mas quando voltou, muitos anos depois, encontrou seu filho parecido consigo, refletindo o seu caráter, fruto do bom trabalho feito pelo seu amigo Mentor. Desde então utilizamos Mentor como sinônimo de "guia", “orientador na caminhada”, "alguém mais experiente interessado e incumbido de treinar/capacitar alguém menos experiente".

 

Aprendendo na caminhada?

Normalmente “essa história” de caminhar com pessoas nos causa estranheza. Considero dois os motivos. Primeiro porque, grosso modo, somos criados para o mercado de trabalho. Recebemos educação para rapidamente sermos introduzidos nele e isso da melhor maneira possível, leia-se: com o melhor curriculum possível. A lógica é preparar para introduzir [no mercado]. Quase nunca segue-se a sequência introduzir-preparando – com todas as forças que o gerundismo nos permite ilustrar. O segundo e mais óbvio motivo, é que participar do processo de mentoria de pessoas custa tempo e energia, e isso é tudo o que não dispomos – ou não queremos dispor. 

Talvez o que, no mundo dos negócios se aproxime mais do conceito cristão de mentoreamento e discipulado, seja o trainee [lê-se "treini"]. Trainee é o cargo atribuído a jovens profissionais recém formados que serão treinados e capacitados para ocupar posições de liderança. A [grande] diferença entre o trainee e o discípulo é que o primeiro é treinado para dar resultados a uma empresa ou grupo. O discípulo, no entanto, gera resultados [frutos] naturalmente e é treinado para a glória de Deus.

 
Jesus e os discípulos


Longe de um treinamento formal, porém totalmente intencional, Jesus comissionou doze homens, e de cara definiu prioridades: “...subiu ao monte e chamou os que ele mesmo quis, e vieram para junto dele. Então, designou doze para estarem com ele e para os enviar a pregar” (Marcos 3:13,14 ARA, grifo meu). Os pouco mais de 3 anos de ministério terreno de Jesus, não tinham por objetivo formar uma escola de pregadores, muito embora, pregar apareça como uma das prioridades. Mas antes de os enviar a pregar vem o custoso e maravilhoso intento de estar com ele. 

O discípulo não é um mero executor de tarefas, mas alguém com quem se caminha a fim de, por meio de um vínculo estreito e de total intencionalidade, ensinar a pensar [cosmovisão] e viver [ética/práxis]. Obviamente, a caminhada de Cristo com seus discípulos não pode ser equiparada totalmente a caminhada entre dois pecadores como eu e você. Não havia pecado nem dolo algum em Jesus, logo ele não precisava ser confrontado. Todavia assumiu pacientemente a responsabilidade de conduzir doze homens, dos quais um iria lhe trair - para que se cumprisse a Escritura.


 

Dominadores e gurus

Todavia, há quem tenha tomado contato com princípios de mentoreamento e esteja confundindo “alhos com bugalhos”. Gente que mantém um círculo de influência na vida de outrem a tal ponto que deixa de ser uma referência para ser um guru. Alguém que ordena o que tem que ser feito, que participa da vida alheia não como pastor (aquele que pastoreia, não necessariamente o ministro ordenado), mas como alguém que toma decisões, pensa e quase vive – se fosse possível – por outrem. Não é isso que vemos quando o apóstolo Pedro trata acerca dos deveres daqueles que, na igreja, têm a proeminência no pastoreio e condução do rebanho:

 

Rogo, pois, aos presbíteros que há entre vós, eu, presbítero como eles, e testemunha dos sofrimentos de Cristo, e ainda coparticipante da glória que há de ser revelada: pastoreai o rebanho de Deus que há entre vós, não por constrangimento, mas espontaneamente, como Deus quer; nem por sórdida ganância, mas de boa vontade; nem como dominadores dos que vos foram confiados, antes, tornando-vos modelos do rebanho. (1 Pedro 5:1-3 ARA, grifo meu).

Não há sentido em viver uma caminhada de discipulado diferente dos princípios que foram elencados por Pedro. Espontaneamente, como Deus quer. De boa vontade e como modelos do rebanho (cf. 1 Timóteo 4:12). Ainda nas Escrituras, encontramos o apóstolo Paulo encorajando Tito a orientar as mulheres mais velhas a caminharem com as mais jovens (cf.Tito 2:1-5). Isso é mentoreamento.


Preciso de um mentor?

Curta e diretamente, sim, você precisa de um mentor. Talvez você não caminhe regularmente com alguém, encontrando-se periodicamente, trocando ideias e leituras bíblicas e de literatura teológica relevante, mas você precisa de alguém que possa servir de referência. Alguém com quem tenha intimidade para abrir o coração e ser confrontado quando necessário. Alguém com quem você possa tomar um café e dividir as cargas sem se preocupar com julgamentos precipitados. Viver isolado, sem prestar contas a quem quer que seja não é sinônimo de maturidade. Pelo contrário, pode ser sintoma de coração adoecido e alma amargurada e/ou soberba. 

Talvez você seja experiente e experimentado na vida, mas ainda assim, para uma vida cristã sadia e equilibrada é muito importante que você viva a perspectiva de mentorear e ser mentoreado. A antiga palavra "tutor" voltou à baila por conta dos "tutoriais" na internet. Pense rápido, quem nunca precisou de um bom tutorial para resolver, aprender ou entender melhor determinada coisa? Não há ninguém que não precise ser mentoreado/tutoriado, tampouco mentorear/tutorear outrem. Se tiver tempo, ouça uma canção do Rev. Gladir Cabral que, pessoalmente, ilustra o que foi falado aqui na figura do amigo: Abrigo (clique aqui/vídeo no Youtube).

 

FONTE, SITE: https://omathetes.blogspot.com/2015/05/o-que-e-mentoreamento.html

Data: 23 de Julho de 2019

 

ESTUDO BÍBLICO 2 - MENTOREAMENTO 2

Divulgado por:

Pastor João Carlos Muniz

www. pregadores do evangelho .com

 

AUTOR:

Anderson Menger

, Pastor,

Publicada em 

Para mais informações: 

Pr. Anderson Menger 

andersonmenger@

Discipulado mentoreamento

  1. 1. DISCIPULADO/ MENTOREAMENTO
  1. 2. Discipulado/mentoreamento lA palavra discipulado tem sido distorcida por muitas práticas manipuladoras e extremistas. Assim, para facilitar o entendimento a prática do discipulado tem sido associada ao mentoreamento.
  1. 3. Discipulado/mentoreamento lA palavra mentoreamento vem da mitologia grega. Mentor era o nome do conselheiro de Ulisses. Quando Ulisses saiu para uma longa viagem confiou o treinamento de seu filho, Telêmaco, ao seu conselheiro, Mentor.
  1. 4. Discipulado/mentoreamento l Mentorear, portanto, descreve um relacionamento com outra pessoa. Esse relacionamento pode ser formal ou informal, intenso ou ocasional, passivo ou ativo.
  1. 5. Discipulado/mentoreamento l Mentorear é um relacionamento no qual uma pessoa capacita a outra compartilhando com ela os recursos dados por Deus. l Mentorear ou discipular é capacitar outros para o sucesso. l O alvo do discipulador/mentor é levar o seu discípulo a desenvolver completamente o seu potencial em Deus.
  1. 6. Tipos de discipulado ou mentoreamento lO mentoreamento pode ser de três tipos: – Ativo – Ocasional – Passivo
  1. 7. Tipos de discipulado ou mentoreamento l Mentoreamento ativo – Discipulado – Acompanhamento técnico, até que o discípulo aprenda a fazer o que está sendo ensinado. – Supervisão de estágio. Todo estagiário precisa de um supervisor para acompanhá-lo nas funções que está aprendendo.
  1. 8. Tipos de discipulado ou mentoreamento l Mentoreamento ocasional – Conselheiro – em situações esporádicas poderá ser de grande ajuda um bom conselheiro. – Professor – Padrinho ou Anjo da guarda
  1. 9. Tipos de discipulado ou mentoreamento l Mentoreamento passivo – Você pode ter discipulos que nem conheçe – Seguir outros através de ministrações e exemplo ministerial – Seguir outros através de livros
  1. 10. Elementos de um relacionamento de discipulado/mentoreamento l Ser modelo - I Cor. 11:1 – As pessoas sempre se moldam para se assemelharem a aqueles a quem elas admiram ou respeitam. – O discípulo é sempre interesseiro. Ele está inicialmente interessado em adquirir os recursos e o conhecimento do seu discipulador.
  1. 11. Elementos de um relacionamento de discipulado/mentoreamento l Atração – As pessoas tentam viver de acordo com as expectativas daqueles que elas admiram ou respeitam. Nunca seja motivo de vergonha para seus discipulos. Exemplo: Pr Estêvão Hernandes e o escândalo contra a igreja Renascer. – A atração é a chave de um discipulado eficiente. É essa atração que estimula a pessoa a trabalhar duro e responder apropriadamente para ter a aprovação do discipulador cumprindo as condições colocadas por ele.
  1. 12. Elementos de um relacionamento de discipulado/mentoreamento l Relacionamento – Nossa personalidade é moldada em nossos relacionamentos. O discipulador não se preocupa com o ensino acadêmico, mas em se relacionar com o discípulo em bases de paternidade espiritual.
  1. 13. Elementos de um relacionamento de discipulado/mentoreamento l Prestação de contas – Para evitar desapontamentos no relacionamento de discipulado/mentoreamento é melhor começar colocando o padrão claramente. Questões como frequência dos encontros, atribuições, material, limites de autoridade e tempo de mentoreamento devem ser colocadas claramente.

 

FONTE, SITE - https://pt.slideshare.net/pastorander/discipulado-mentoreamento

 

FIM

 

Espero que este artigo tenha sido útil para você.

Compartilhe com o máximo de pessoas possível por favor a fim de ajudarmos muitas pessoas a terem este conhecimento. Amém?

Muito obrigado, a paz do nosso Senhor Jesus Cristo.

 

Betim, MG, Brasil, 23 de Julho de 2019

Atenciosamente,

Pastor João Carlos Muniz, Betim, MG

Sites:

www.pregadoresdoevangelho.com

www.redebetel.com

www.jcmimoveis.com

www.palestrasjcm.blogspot.com

 

A paz do nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo, 

Salmo 15 

Pastor João Carlos Muniz, Betim, MG 

 

Faça suas publicações aqui neste site também. E depois compartilhe na internet e nos aplicativos do seu celular. Amém?

 

Localização
  • Município: Betim
  • Estado: MG
Código do anúncio: #148

Publicado em: 22/10/2019

Jesus te ama
Pastor João Carlos Muniz
(31) 98789-3353
Dicas de Segurança
  • Para denunciar, use o Fale conosco
  • Desconfie de anúncios não realistas